O valor sob gestão ascendeu a 23,2 mil milhões de euros, anuncia a Comissão do Mercado de Valores Mobiliário (CMVM).

«Em contrapartida, no mesmo período, o valor sob gestão dos fundos especiais de investimento registou um crescimento de 14,6%, totalizando 115,3 milhões de euros e a capitalização média atingiu 16,5 milhões de euros, o que representa uma variação mensal positiva de 2,1 milhões de euros», refere em comunicado.

No período em questão, o investimento em acções nacionais ascendeu a 693,8 milhões de euros, o que representa uma quebra de 5,5% em relação ao verificado em Junho de 2004. «A Sonae SGPS, o BCP, a Portugal Telecom, a EDP, a Brisa (Privatizada), a PT Multimédia, o BPI, a Sonae.com, a Impresa e o BES eram os dez principais títulos em carteira», sublinha o regulador.

O investimento total em acções internacionais situou-se nos 1,2 mil milhões de euros, ou seja, um decréscimo de 4,9% comparativamente com o mês de Junho. «Os activos preferidos nos mercados da União Europeia eram a Total Efina, Telefonica, Royal Dutch Petroleum, Vodafone, GlaxoSmithkline, ING Groep N.V., Siemens AG - REG, ENI SPA, BNP Paribas e a Nokia. Já fora da União Europeia os favoritos eram a Pfizer, Microsoft, Nestle, Amgen, Novartis, General Electrics, Coca Cola, Unitedhealth, Roche e a Procter & Gamble», enumera.

«Quanto às aplicações totais realizadas em valores cotados no mercado português registou-se, no mês passado, um decréscimo de 7,4% face a Junho, totalizando 1,6 mil milhões de euros, o que equivale a 9,7% do total de activos cotados. Em contrapartida, as aplicações nos mercados internacionais, comparativamente com o sexto mês de 2004, cresceram 0,05% sendo que o Luxemburgo e o Reino Unido continuam a liderar a tabela dos principais países de destino destas aplicações», adianta o mesmo.
Sandra Pedro