2017 foi um ano inesquecível para vários atletas portugueses, alguns deles a conseguirem feitos inéditos. Num ano de muitos sucessos, destaque para Inês Henriques que escreveu o seu nome na história do desporto mundial ao tornar-se na primeira mulher campeã mundial dos 50 km marcha. Mas foram muitos os que durante os 365 dias levaram o nome de Portugal mais alto, vestiram a bandeira, e somaram medalhas e troféus ao seu espólio.

Inês Henriques pioneira dos 50 km marcha

A luta de Inês Henriques começou ainda antes de chegar a Londres para participar nos Mundiais de Atletismo. Em janeiro, a marchadora portuguesa de 37 anos aproveitou o facto de a Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF) ter aberto a distância ao setor feminino e estabeleceu o primeiro recorde do mundo oficial.

E não deixou de lutar para que os 50 km femininos estivessem presentes nos mundiais. Foram meses de pedidos e espera até que, a duas semanas da prova, chegou luz verde da IAAF. Sete mulheres participaram, marchando ao mesmo tempo que os homens. A vitória foi portuguesa. Inês Henriques conquistou a medalha de ouro e bateu o recorde mundial, que já era seu, ao concluir a prova em 4:05.56 horas. O ano da marchadora termina com mais uma luta, desta vez para incluir a distância nos Europeus.

Fernando Pimenta campeão europeu e mundial

Depois das lágrimas de 2016 nos Jogos Olímpicos, Fernando Pimenta voltou a sorrir e a somar medalhas ao seu espólio. O canoísta português de 28 anos sagrou-se campeão europeu e vice-campeão mundial em K1 1.000 metros, distância olímpica. Fernando Pimenta venceu ainda o ouro no Mundial nos 5.000 metros, distância não olímpica, na qual conquistou a prata no Europeu. Também no Europeu, a dupla composta por Joana Vasconcelos e Francisca Laia a venceu a prata em K2 200 metros.

Joana Schenker campeã europeia e mundial de bodyboard

Primeiro a revalidação do título europeu, que venceu pela quarta vez, depois a conquista do circuito mundial. Joana Schenker, de 30 anos, tornou-se na primeira portuguesa a sagrar-se campeã mundial de bodyboard, uma vitória que festejou em casa, no Nazaré Pro, sétima e penúltima etapa do circuito mundial.

Frederico Morais na final em Jeffrey’s Bay

Que grande a estreia de Frederico Morais no circuito mundial. Neste que foi o primeiro ano, o surfista de 25 anos terminou em 14.º lugar, tendo sido um dos melhores estreantes da temporada, e tornou-se o primeiro português a atingir uma final de uma prova do circuito mundial, o que aconteceu em Jeffrey’s Bay, na África do Sul.

Ivo e Rui Oliveira medalhados em ciclismo de pista

Conquistas inéditas também no ciclismo. Os gémeos Ivo e Rui Oliveira conquistaram a prata em perseguição individual e o bronze na eliminação (respetivamente), as primeiras medalhas de sempre para o ciclismo de pista português.

Nélson Évora campeão nacional, europeu e bronze nos mundiais

2017 foi mesmo o ano do regresso de Nélson Évora às vitórias. O triplista sagrou-se campeão nacional e venceu o título europeu indoor nos Campeonatos Europeus de Atletismo, realizado em Belgrado. Em Londres, nos Mundiais, voltou a estar em destaque e conquistou o terceiro lugar.

Patrícia Mamona vice-campeã europeia e campeã nacional

Patrícia Mamona sagrou-se campeã nacional de triplo salto pela 10ª vez consecutiva, mas também brilhou lá fora. Em Belgrado, nos Europeus, conquistou a medalha de prata.

João Pereira campeão europeu de triatlo

João Pereira sagrou-se campeão europeu de triatlo na distância olímpica e em sprint, na mesma semana. E ainda integrou a equipa do Benfica que venceu o campeonato europeu, ao lado de Melanie Santos, Miguel Arraiolos e da regressada Vanessa Fernandes.

Telma Monteiro regressa a competição com ouro

Depois de 11 meses sem competir na sequência de uma lesão no ombro contraída nos Jogos Olímpicos, a Telma Monteiro regressou para vencer o Open Europeu de Minsk. A judoca, bronze no Rio de Janeiro, esteve perto de repetir o lugar nos Mundiais, mas acabou por perder no combate de atribuição do terceiro lugar da categoria -57 kg em Budapeste.

Mas o judo português também conquistou o bronze nos Europeus, por intermédio de Joana Ramos, em -52 kg e Maria Siderot sagrou-se campeã europeia de sub-23.

Miguel Oliveira foi o terceiro em Moto2

Um final de campeonato impressionante, com três vitórias nas últimas três provas, deu a Miguel Oliveira o terceiro lugar em Moto 2, o seu segundo pódio no Mundial de motociclismo de velocidade.

Tiago Monteiro piloto do ano do WTCC

2017 foi um ano agridoce para Tiago Monteiro no Campeonato Mundial de Carros de Turismo (WTCC). O piloto português liderou o campeonato até que um acidente o obrigou a falhar as últimas quatro provas, acabando por cair para oitavo. No final, acabou por ser eleito piloto do ano pela imprensa que acompanha o WTCC.

Benfica conquista Taça Intercontinental de hóquei em patins

Já a fechar o ano, o Benfica conquistou a Taça Intercontinental de hóquei em patins ao vencer os espanhóis do Réus. É o segundo título dos encarnados na Taça Intercontinental, que já tinha ganho em 2013.

Óquei de Barcelos bicampeão da Taça CERS

Também no hóquei em patins, o Óquei de Barcelos conquistou a Taça CERS pela segunda vez consecutiva ao bater o Viareggio. Depois do triunfo em 2015/16 em casa, a equipa barcelense foi a Itália conquistar novamente o segundo maior troféu europeu de hóquei em patins.

FC Porto conquista triplete em hóquei

Por cá, o FC Porto não parou de somar títulos. Os Dragões conquistaram o triplete em hóquei em patins, ao vencer campeonato, Taça de Portugal e Supertaça

Sporting campeão nacional e conquistou a Taça Challenge pela segunda vez na história

No andebol, o ano foi pintado a verde e branco. O Sporting conquistou a Taça Challenge, pela segunda vez na história, ao derrotar os romenos do Turda. Os leões sagraram-se ainda campeões nacionais 16 anos depois, ao vencerem o Benfica. Só o ABC impediu o triplete ao vencer a Taça de Portugal.

Sara Marques