A Ferrari obteve um lucro líquido ajustado de 124 milhões de euros no primeiro trimestre deste ano, mais 60 por cento que o registado entre janeiro e março de 2016.

Já as vendas da Ferrari cresceram 22 por cento no primeiro trimestre deste ano, com um total de 2.003 veículos comercializados.

No período de referência, a faturação da marca italiana atingiu 821 milhões de euros, face aos 765 milhões registados em igual período do ano anterior, enquanto o EBITDA (resultado antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) situou-se em 242 milhões de euros, um aumento de 36 por cento face a igual período do ano anterior.

As vendas da Ferrari subiram 8,8 por cento na Europa e no Médio Oriente, 4,2 por cento na América e 3,2 por cento no Japão, Austrália, Singapura, Indonésia e Coreia do Sul.

Os resultados foram impulsionados pelo crescimento de cerca de 50 por cento nas vendas de modelos equipados com motores V12, como GTC4Lusso, LaFerrari Aperta e F12tdf.

Já os modelos menos potentes, com motores V8, como é o caso do 488 GTB e California T, caíram 3 por cento.

Numa altura em que se verifica uma redução generalizada no tamanho dos motores por preocupações ambientais, a procura pelos modelos V12 pode indicar 2 tendências: ou os clientes procuram garantir os últimos exemplares com estes motores ou simplesmente não estão interessados nos menos potentes.