Lançado em 1984, o Ibiza é o símbolo maior da Seat, com 5,4 milhões de unidades vendidas. Na quinta geração, o Ibiza quer assumir o papel de protagonista entre os utilitários, chegando em junho, exclusivamente em formato de cinco portas, sem carroçaria de três portas e carrinha, esta última substituída por um SUV, que vai chamar-se Arona.

O modelo, que fará a sua estreia ao grande público em março, no Salão de Genebra, segue a linguagem estética do Leon, nomeadamente na dianteira e lateral. O interior, com linhas mais sóbrias, é dominado por um ecrã de grandes dimensões ao centro.

Por fora aparenta ser maior, mas é mais pequeno, em 2 milímetros. Por outro lado é 87 mm mais largo (1 milímetro mais baixo) e a bagageira ganhou 63 litros, passando a oferecer 355 litros, um dos melhores na categoria (380 litros no Leon, por exemplo).

Quanto à mecânica, a gama incluirá o 1.0 TSi de 3 cilindros a gasolina com potências de 95 e 115cv e o 1.6 TDi disponível em três variantes de potência, 80, 95 e 115cv. Posteriormente, a gama será reforçada com um 1.5 TSI de 150 cv, com caixa de 6 velocidades.

As opções de caixa disponíveis serão de cinco velocidades manual para o modelo de entrada e de seis, também manual, para os motores mais potentes. Uma automática DSG de dupla embraiagem com sete relações estará igualmente disponível.

Estará disponível com quatro níveis de equipamento, a começar no Reference, passando pela Style e terminando na mais desportiva FR e a equivalente Xcellence. A FR oferece uma vertente mais dinâmica, ao passo que a XCellence surge com visual mais requintado e mais tecnológico.

Por falar em tecnologias, o novo Ibiza surge com vários dispositivos de ajuda à condução, com destaque para o sistema anti colisão Front Assist, assistência de tráfego, “cruise control” adaptativo, novos sensores de estacionamento, câmara de marcha-atrás ou acesso mãos-livres.