A proposta da companhia será, agora, apresentada ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e prevê a entrada inicial de 62 milhões de dólares da TAP na companhia brasileira, pela compra destas duas empresas, recursos que serão depositados em conta vinculada para o pagamento a companhias de leasing no exterior. Estas empresas brigam na justiça norte-americana pela devolução de até 40 aviões em poder da Varig, lembra o jornal brasileiro «Valor Económico».

Além deste investimento, a TAP comprometeu-se a realizar a antecipação de recebíveis, cujo valor definitivo será definido posteriormente.

O depósito financeiro dos 62 milhões de dólares deverá ocorrer até o dia 8 de Novembro, véspera da próxima audiência dos administradores da Varig, BNDES e a parceira TAP com o juiz Robert Drain, da Corte de Nova York.

A TAP também reiterou seu interesse em participar da segunda fase do plano de reestruturação da companhia aérea, estimando investimentos de até 500 milhões de dólares, segundo comunicado distribuído ontem no Brasil, citado pelo mesmo jornal, e reiterando o que o CEO já tinha afirmado aos jornalistas portugueses, na passada semana.

A Varig enviou na semana passada propostas para os seis grupos que até agora tinham manifestado interesse: TAP, Docas Investimentos S/A, MatlinPatterson, Ocean Air, Trabalhadores do Grupo Varig (TGV) e a francesa ATS.