«É arriscado mas é possível. De facto não é muito habitual [incluir fado num festival] mas já participei em festivais com os mais variados géneros. Este é um festival muito ecléctico com jovens e pessoas mais velhas. Acredito que resultará muito bem»


«Esteve previsto para este ano mas ele próprio quis primeiro lançar este novo álbum. Esta edição [julho de 2015] vai ser histórica. Queremos desmarcar o Marés Vivas da imagem dos festivais nacionais de altos e baixos. Teremos mais bandas dos Tops que estão em primeiro lugar em vários países»