A cantora Billie Eilish protagonizou mais um momento de protesto contra a lei do aborto que entrou recentemente em vigor no estado norte-americano do Texas. Quando o documento saiu, há cerca de um mês, manifestou-se logo contra, dizendo que ficava "doente por os homens não dizerem nada sobre os direitos das mulheres."

Desta vez, e em pleno estado do Texas, na cidade de Austin, a artista interrompeu o concerto para se manifestar contra a lei: Lembrei-me que vocês são as vítimas, e merecem tudo no mundo. Temos de dizer-lhes que se calem. O meu corpo, as minhas regras."

A britânica revelou mesmo que, quando soube da aprovação da lei, pensou em cancelar o concerto no festival Austin City Limits, mas acabou por não o fazer.

Billie Eilish atuou este fim de semana no festival Austin City Limits, no estado do Texas, que recentemente aprovou uma lei que restringe ainda mais os direitos das mulheres de fazerem um aborto.

A artista admitiu que pensou cancelar o concerto, mas que não o fez por respeito aos fãs. "Quando passaram essa lei, quase não quis dar este concerto como castigo por terem permitido isso aqui", afirmou, em palco.

A nova lei do aborto no Texas impede todos os abortos após ser detetado o primeiro batimento cardíaco do feto, o que geralmente acontece por volta das seis semanas, altura em que muitas das mulheres ainda não sabem que estão grávidas.

António Guimarães