A Comissão Organizadora da Expofacic adiou para 2022 a realização da 30.ª edição do evento, no âmbito do combate à pandemia de covid-19.

Devido à “afluência de público uma vez que há fundadas expetativas de que esta venha a ultrapassar os 400.000 visitantes”, a Feira Agrícola, Comercial e Industrial de Cantanhede foi adiada por “não ser possível garantir o cumprimento das normas emitidas pela Direção-Geral de Saúde (DGS)”, lê-se em nota hoje divulgada.

O evento é “preparado com muitos meses de antecedência” não existindo “tempo útil para concretizar todas as tarefas”, para além de não ser possível “antever” a evolução pandémica, a Comissão Organizadora decidiu adiar a Expofacic de Cantanhede.

A Comissão Organizadora optou por protelar até ao final de março a tomada de uma posição definitiva sobre a eventual realização do evento em 2021, na perspetiva de que a pandemia de covid-19 viesse a ser controlada de modo a permitir encarar como viável essa possibilidade, o que infelizmente não veio a acontecer”, lê-se na mesma nota.

O adiamento do certame Expofacic foi aprovado hoje por unanimidade pelo executivo camarário de Cantanhede, frisando ser esta a “única forma de salvaguardar o prestígio da Expofacic e manter a confiança dos parceiros e do público”.

A empresa municipal de Desenvolvimento Económico-Social Cantanhede (INOVA-EM), enquanto entidade responsável pela gestão financeira e logística do evento, está a trabalhar junto de parceiros, patrocinadores, expositores e entidades prestadoras de serviços, com o objetivo de manter para 2022 os contratos e acordos formalizados para 2021.

A pandemia de covid-19 provocou em Portugal, 16.887 mortos dos 824.368 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da S

/ RL