O músico brasileiro João Carlos Assis Brasil, considerado um dos maiores pianistas do país, morreu esta segunda-feira, aos 76 anos, na sequência de um enfarte que sofreu na passada sexta-feira, informou a assessoria do artista.

Comunicamos com profunda tristeza o falecimento, hoje, do nosso querido João Carlos Assis Brasil, em decorrência de um enfarte na última sexta-feira. Ele cumpriu a sua missão por aqui e agora a sua obra se eterniza", escreveu a assessoria do pianista, na sua página na rede social Facebook.

Apontado como um dos maiores pianistas do Brasil, com trabalhos que vão desde a música clássica à popular, João Carlos Assis Brasil nasceu no Rio de Janeiro, em 28 de agosto de 1945, e ainda criança iniciou estudos no Conservatório Brasileiro de Música. Na adolescência, fazia já parte de orquestras do país.

O pianista conquistou vários prémios, como o 3.º lugar no Concurso Internacional Beethoven, em Viena, na Áustria, e gravou com músicos como Ney Matogrosso, Maria Bethânia, Zizi Possi, Alaíde Costa e Wagner Tiso.

João Carlos Assis Brasil era irmão gémeo do saxofonista Vitor Assis Brasil, também ele apontado como um dos maiores nomes do jazz brasileiro, que morreu 1981, aos 35 anos.

A Escola de Música Villa-Lobos, no centro do Rio de Janeiro, na qual João Carlos Assis Brasil deu aulas, lamentou a morte do músico nas redes sociais.

"Com muita tristeza soubemos da partida de João Carlos Assis Brasil. Era considerado uma lenda viva do piano brasileiro. (...) Em 2019, gravou no Auditório Guerra-Peixe seu álbum 'João Carlos Assis Brasil Clássico', com repertório de obras de compositores como Chopin, Liszt, Debussy, Tchaikovsky, dentre outros. Era um professor muito querido (...), que sempre estava praticando em algum piano, para alegria dos que passavam pelos corredores", indicou a instituição no Instagram.

"Deixamos nossos sentimentos aos familiares e amigos, e a certeza de que João Carlos Assis Brasil sempre será lembrado na memória de nossa escola e da música brasileira. Gratidão por dedicar a vida integralmente à música, mestre", concluiu.

/ RL