O cantor e compositor Bob Dylan foi formalmente acusado de abuso sexual de uma menor de 12 anos. O caso remonta a 1965. 

De acordo com a imprensa britânica, que teve acesso ao processo de 16 páginas, o norte-americano terá usado drogas e álcool antes de cometer o crime, no apartamento no Chelsea Hotel, em Nova Iorque.

Para além disso, Dylan terá aproveitado a sua fama e 'status' para ganhar confiança e controlar a vítima "como parte do plano para agredi-la sexualmente e abusar dela"

A vítima, atualmente com 68 anos e identificada apenas como JC, vive em Greenwich, no estado norte-americano de Connecticut. 

O advogado do cantor assegura que a acusação é "falsa" e que a verdade dos factos vai ser "vigorosamente defendida"

O processo está nas mãos do Supremo Tribunal de Manhattan. 

Cláudia Évora