O músico e compositor Rui Veloso volta em novembro aos palcos para dois concertos no Porto e em Lisboa, anunciou hoje a promotora Everything is New.

Os concertos estão marcados para 13 de novembro, no Pavilhão Rosa Mota, no Porto, e para dia 26 do mesmo mês no Campo Pequeno, em Lisboa.

Em comunicado, a promotora recorda que Rui Veloso é considerado um dos pilares do rock em Portugal, chegando a ser classificado “o pai” do rock português, tendo celebrado 40 anos de carreira no ano passado.

Rui Veloso, numa longa parceria com o letrista Carlos Tê, inscreveu várias músicas no repertório do pop rock português e que são facilmente identificáveis pelo público. As primeiras datam dos anos de 1980, quando lançou o álbum "Ar de Rock". Rui Veloso tinha 23 anos.

O músico, autodidata na guitarra, nasceu em Lisboa em 1957, viveu no Porto desde criança, mas foi na capital que se lançou na música. A história, já várias vezes contada, dá conta que foi a mãe de Rui Veloso que, em 1979, levou à editora Valentim de Carvalho uma maqueta com temas em inglês e em português.

Foram os temas em português que agradaram à editora e, no ano seguinte, em 1980, saiu o álbum, que contava com a participação dos músicos Zé Nabo e Ramon Galarza, e com os temas "Chico Fininho", "Rapariguinha do shopping" e "Sei de uma camponesa".

Em 2010, quando completou 30 anos de carreira, Rui Veloso contou à agência Lusa a facilidade com que compunha melodias. "Do 'Ar de Rock' compus a vir para Lisboa, durante a viagem. Parei, fiz dois ou três temas, por exemplo, 'Sei de uma camponesa' e 'Saiu para a rua'".

Após "Ar de Rock", um dos discos que se inserem na consolidação do rock em português nos anos 1980, juntamente com discos de bandas como Xutos & Pontapés, UHF e Rádio Macau, Rui Veloso lançou outros álbuns de sucesso como "Guardador de Margens" (1983) e "Lado Lunar" (1995).

Comendador da Ordem do Infante D. Henrique, Rui Veloso já tocou com músicos como B.B. King, fez parte dos Rio Grande e Cabeças no Ar, editou e lançou os Azeitonas.

/ CP