O universo Blasted Mechanism fez-se ouvir em Glastonbury, o maior festival de música da Europa que terminou este domingo no Reino Unido.

A banda portuguesa passou domingo pelo Festival a promover o álbum «Mind at large» e apesar da fraca audiência, acredita que está no bom caminho da internacionalização.

«Esteve cá a Emily Eavis, filha do fundador do Festival e responsável pela organização, que nos disse que no próximo ano voltaríamos», disse à Agência Lusa o músico Valdjiu.

Antes do concerto, a banda exibiu imagens dos Açores, numa iniciativa apoiada pela Associação de Turismo da Região Autónoma e logo em seguida fez entoar as palavras de Agostinho da Silva, recuperadas para o tema «Star to move».

Entre a estranheza e a surpresa de ver uma banda portuguesa envergando fatos e máscaras com simbologia espiritual e mística, o público reagiu às músicas que não conhecia de uma forma que os Blasted estão já habituados: a dançar.

Entre o público inglês, que elogiou a irreverência da apresentação, sobressaía uma bandeira portuguesa.

Lídia, portuguesa a residir no Norte de Inglaterra há uma década, costuma ir ao Festival, porque é lá que acontece tudo e não queria deixar de dar apoio à banda nacional.

«Foi pena estarem poucos, porque o Festival é importante, mas é muito bom terem vindo», disse à Lusa.

Nos próximos dias, a banda estará em Londres para dois concertos, seguindo para um festival no Norte e outro já em Praga na República Checa.