Chris Cornell, que morreu esta quarta-feira, dedicou a sua vida ao grunge, um estilo de rock alternativo que nasceu no final dos anos 80 em Seattle, Estados Unidos. O músico, que nasceu precisamente nesta cidade norte-americana, foi vocalista de bandas que são símbolos deste movimento como os Soundgarden, os Temple of the Dog e mais recentemente os Audioslave. 

O músico, cujo nome de nascimento é na verdade Chris Boyle, nasceu a 20 de julho de 1964 em Seattle. Teve uma infância difícil e o divórcio dos pais foi um momento marcante na sua vida. Depois da separação dos progenitores resolveu, em conjunto com os seus irmãos, adotar o apelido da mãe, Cornell.

Foi em 1984 que formou aquela que viria a ser uma banda de referência do movimento grunge, os Soundgarden. Foi vocalista e baterista da banda e lançou álbuns como "Ultramega OK" (1988) e "Louder Than Love" (1989).

Em 1994, os Soundgarden lançam o álbum "Superunknown" e o tema "Black Hole Sun" torna-se um êxito. É ainda hoje a música de maior sucesso do grupo.

 

 

Em 1990, com Mike McCready e Eddie Vedder, Chris Cornell formou os Temple of Dog. A banda lançou apenas um álbum e acabou por se desintegrar em 1992. McCready e Vedder formariam mais tarde os Pearl Jam.

No início dos anos 2000 fundou outra banda os Audioslave com Tom Morello, Tim Commerford e Brad Wilk, ex-membros do Rage Against the Machine. Em 2005, a banda entra para história como o primeiro grupo americano a atuar em Cuba. Um dos maiores sucessos da banda foi a música Like a Stone.

 

Em 2009 Chris Cornell atuou a solo pela primeira vez em Portugal. Foi no palco principal do festival Optimus Alive, em Algés.

 

Recentemente, Chris trabalhava num novo álbum com os Soundgarden. A banda estava a percorrer os Estados Unidos com uma digressão.