Se fosse vivo, António Variações faria esta terça-feira 75 anos. Este ano tem sido de homenagem ao homem que nunca desistiu do sonho, mas que morreu demasiado novo.

A sonoridade e exoberância do artista marcaram a cultura portuguesa do pós-25 de abril e ainda hoje, 35 anos depois da sua morte, essa marca é visível.

Ver Sérgio Praia a encarnar António Variações -  no filme "Variações" - traz memórias a uns e nostalgia a outros que não puderam privar com ele, como o próprio ator que lhe dá vida e que ainda não tinha sete anos quando o cantor português morreu.

Apesar de não saber uma nota musical, o barbeiro fez a diferença e trouxe uma nova cor à música portuguesa. 

Desde novo, na pequena freguesia de Fiscal, em Amares, que sempre soube o que queria fazer. Veio para Lisboa, apenas com o exame da quarta classe, sem nunca esquecer as suas raízes nem a mão, que esteve sempre o apoiou.

Carmen Fialho