Continua sem aparecer o cantor Nuno Batista, conhecido como Zé do Pipo. O artista está desaparecido desde segunda-feira, tendo o carro sido encontrado na praia do Porto da Areia Sul, em Peniche.

As buscas têm mobilizado meios terrestres e marítimos, que envolvem bombeiros e Instituto de Socorros a Náufragos, para além de dois drones da Polícia Marítima e da PSP, que também compareceu na quinta-feira com uma equipa cinotécnica. 

As hipóteses estão todas em cima da mesa. Tanto pode estar desaparecido em terra como no mar”, afirmou à TVI24 uma fonte da PSP.

A mesma fonte confirmou que o carro do cantor foi encontrado estacionado num restaurante perto do local onde terá desaparecido, com os objetos pessoais (carteira, telemóvel e casaco) dentro da viatura. As autoridades não excluem nenhuma possibilidade e um dos cenários apontados poderá ser a queda de uma ravina.

Há a possibilidade de ele ter caído ao mar. Pode ter sido acidente, suicídio ou até ter ido embora a pé”, disse ainda a mesma fonte.

Nuno Baptista tinha abandonado a carreira enquanto Zé do Pipo a 11 de outubro, quando deu o último espetáculo, revelou 'manager' do cantor.

“Tinha seis espetáculos no estrangeiro este mês e tive de os cancelar”, afirmou o empresário, informando que Nuno Batista vai ser substituído por outro cantor para dar continuidade ao artista Zé do Pipo.

O caso foi abordado quinta-feira na Crónica Criminal, do programa "Você na TV", e, ao telefone, Paquito Rebelo revelou que o cantor era seguido por profissionais de saúde.

O Nuno [Zé do Pipo] estava doente e, por problemas de saúde, alguns espetáculos tiveram de ser cancelados. Este ano, foi dos artistas que mais atuou em Portugal. Pela intensidade e quantidade de espetáculos que teve… Há pessoas que reagem de uma forma e há pessoas pessoas que reagem de outra", começou por contar o 'manager'.

Paquito Rebelo revelou que Zé do Pipo já era seguido por profissionais de saúde: "O Nuno estava a ser acompanhado por médicos. [...] O médico passou uma declaração a dizer que ele não poderia aguentar a dose de trabalho muito mais tempo."