O vídeo de Childish Gambino já atingiu os 100 milhões de visualizações em menos de uma semana e está, nos últimos dias, nas bocas do mundo. "This is America" junta a violência, o racismo, o crime e a discriminação social, mas também sorrisos e danças. 

Se ainda não viu o vídeo, prepare-se. As imagens, que começam com ritmos africanos leves, são subitamente alteradas para um cenário de violência: um tiro à queima-roupa é disparado  em alguém que está de cabeça tapada. Depois entra o hip hop, com "This is America". Ou seja, isto é a América, fazendo alusão ao facto da violência ser para muitos prática comum neste país. A arma usada é ainda limpa como uma crítica ao livre uso de armas neste país. 

E se uma morte não chegava... um coro de de igreja está cantar, quando Gambino atira sobre eles. Ouve-se, outra vez, "This is America." De acordo com a imprensa, esta pode ser uma referência ao massacre, que aconteceu em 2015 numa igreja, na cidade de Charleston, na Carolina do Sul. Ouve-se, outra vez, "This is America."

Vemos ainda um grupo de crianças a dançar com o cantor, mostrando como o mundo consome as redes sociais e se desliga do que se possa estar a passar. 

No decorrer do vídeo pode-se ainda ligar a crítica aos tiroteios fatais da polícia norte-americana, ou seja, ao alegado abuso de poder destas autoridades. 

Mas quem é Childish Gambino?

É o alter-ego musical do também ator, comediante, escritor, realizador, produtor e DJ Donald Glover, de 34 anos.

Aos 23 anos, foi contratado por Tina Fey como argumentista da série 30 Rock, participou como ator na sitcom da NBC Community. Destacou-se na série Atlanta, onde é criador e personagem principal. Ainda este mês, vai-se estrear no papel de Lando Calrissian, no Solo: A Star Wars Story .

Em 2017, a revista Time colocou Donald Glover na lista dos 100 mais influentes do mundo. 

Veja o vídeo.