Bryan Adams deveria começar, esta terça-feira, uma série de concertos no Royal Albert Hall, em Londres, que acabaram adiados por causa da pandemia Covid-19.

Numa mensagem divulgada no Instagram, o cantor canadiano ataca a China e as pessoas que comem morcegos, expondo uma sério de teorias sobre as fontes do novo coronavírus: a de que o vírus foi passado para os humanos através dos morcegos ou de pangolins. 

"Esta noite era suposto ser o começo de uma série de concertos no Royal Albert Hall, mas graças a alguns filhos de mães que comem morcegos, que vendem carnes frescas e animais, que criam vírus, o mundo inteiro está em pausa, já para não falar sobre os milhares que sofreram ou morreram do vírus. A minha mensagem para eles, para além de 'obrigadinho', é que se tornem vegan", escreveu Brian Adams na legenda da foto em que apresenta a música Cuts Like a Knife.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

CUTS LIKE A KNIFE. A song by me. Tonight was supposed to be the beginning of a tenancy of gigs at the @royalalberthall, but thanks to some fucking bat eating, wet market animal selling, virus making greedy bastards, the whole world is now on hold, not to mention the thousands that have suffered or died from this virus. My message to them other than “thanks a fucking lot” is go vegan. To all the people missing out on our shows, I wish I could be there more than you know. It’s been great hanging out in isolation with my children and family, but I miss my other family, my band, my crew and my fans. Take care of yourselves and hope we can get the show on the road again soon. I’ll be performing a snippet from each album we were supposed to perform for the next few days. X❤️ #songsfromisolation #covid_19 #banwetmarkets #selfisolation #bryanadamscutslikeaknife #govegan🌱

Uma publicação partilhada por Bryan Adams (@bryanadams) a

As críticas ao cantor não se fizeram esperar, com várias pessoas a responderem ao cantor nos comentários da publicação, chegando mesmo a acusá-lo de racismo.

Perante as críticas, Bryan Adams fez uma nova publicação onde pede desculpas "a qualquer pessoa que se sentiu ofendida" pela mensagem anterior.

"Não há desculpas, eu só queria reclamar da horrível crueldade animal nesses mercados húmidos como a possível fonte do vírus e promover o veganismo. Tenho amor por todas as pessoas e os meus pensamentos estão com todos os que lidam com essa pandemia em todo o mundo", escreveu.

Recorde-se que recentemente a Organização Mundial da Saúde mostrou-se contra o encerramento de mercados de animais vivos como o de Wuhan, na China.

 
Andreia Miranda