Três décadas após «Cavalos de Corrida», os UHF não mostram sinais de querer parar. A banda acaba de lançar o primeiro álbum de originais em cinco anos - um disco com mensagens políticas e de intervenção e que deixa a pergunta no título: «Porquê?».

«Este disco começou a ser feito há um ano e meio (...) e foi lançado nesta época. Parece que foi feito há quinze dias. Caiu em cima deste braseiro que é o estado da nação», disse o vocalista António Manuel Ribeiro ao IOL Música, referindo-se ao cenário de crise económica e social que Portugal atravessa actualmente.

«O porquê fica mesmo como a grande pergunta. Depois de todas as discussões possíveis - económicas, financeiras, sociais, partidárias e não partidárias -, há sempre uma pergunta que fica: "Porquê?".»

«O melhor da nação são os portugueses»

António Manuel Ribeiro falou de um disco positivo, sem «queixumes» nem «lamentações». «Toca nos assuntos, foca algumas situações muito concretas e acaba com uma canção extremamente positiva, a puxar pelas pessoas - "Portugal (somos nós)"», explicou.

O líder dos UHF acredita que «o melhor da nação são os portugueses»: «Os portugueses não são números, não são pedras, não são estradas. São pessoas».

As canções que apontam rumos e apelam à consciência nacional podem ser ouvidas na digressão pelas lojas Fnac, que decorre até Dezembro. Concertos que trazem novos e velhos fãs, num cruzamento de gerações que continua a surpreender António Manuel Ribeiro.

«Em Almada, uma menina com 8, 10 anos, estava a seguir o concerto sentada a ler o livrinho [do CD] e a cantar as letras. Isso espantou-me (...) e ficou-me gravado», contou.

«A independência incomoda em Portugal»

Pioneiros de uma nova vaga de música pop-rock no início dos anos 80, juntamente com os Xutos & Pontapés ou os GNR, os UHF nem sempre tiveram uma exposição mediática estável ao longo da carreira. Para António Manuel Ribeiro, esse foi o preço pela independência de que fala com orgulho.

«Passo a passo, vamos fazendo aquilo que queremos. E muitas vezes essa independência incomodou. Mas a independência incomoda em Portugal. (...) Nós gostamos e precisamos das editoras - se bem que hoje temos a nossa e trabalhamos mais com distribuidoras -, mas nunca abdicamos da escolha do rumo.»

«Pagamos com a nossa independência alguma exposição menor», rematou o músico.

Vê aqui o vídeo da entrevista com António Manuel Ribeiro, dos UHF:

Os próximos concertos da banda:

26 de Novembro - Fnac CascaiShopping, Cascais - 22h00

1 de Dezembro - Fnac Mar Shopping, Matosinhos - 17h00

1 de Dezembro - Fnac GaiaShopping, Gaia - 21h30

5 de Dezembro - Fnac AlgarveShopping, Albufeira - 15h00