O suspeito de estar envolvido no homicídio do rapper Mota Jr, que foi detido esta terça-feira, fugiu para Inglaterra juntamente com outro suspeito. O homem foi detido no Aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto, ao chegar de um voo proveniente de Londres. Regressou a Portugal para explicar o crime à companheira.

Esta detenção está relacionada com uma investigação em curso e que envolve mais dois outros suspeitos. O processo da Polícia Judiciária está a decorrer desde dia 15 de março, aquando do desaparecimento de Mota Jr.

A detenção aconteceu sob contornos  algo estranhos. O detido terá fugido de Portugal para Inglaterra, juntamente com outro suspeito, quando suspeitou que as autoridades estavam a investigar um possível crime e não um desaparecimento.

Desde cedo que a PJ tinha informações que apontavam para um homicídio, mas, oficialmente, era um desaparecimento.

O homem regressou a Portugal num voo com destino ao Aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto, pensando que conseguiria ser discreto e não levantar suspeitas. O objetivo do suspeito seria conseguir deslocar-se até Lisboa para explicar à companheira os motivos e os contornos do crime.

De maneira a facilitar a captura dos suspeitos vigoravam dois mandados de detenção, um nacional e outro internacional, o que facilitou a comunicação entre a PJ e a congénere britânica.

A PJ já sabia há algum tempo o paradeiro deste homem, que estava em Inglaterra. O suspeito começou a ser ligado ao crime através através de mensagens e vídeos que circulavam no mundo virtual, em que o classificavam como um presumível autor do crime.

A morte de Mota Jr começou por ser investigada como um desaparecimento, mais tarde passou a suspeitar-se de uma tentativa de assalto casual e agora surge a teoria de que este foi um crime premeditado.

Mota Jr foi abordado, agredido e raptado por dois homens que o esperavam na entrada da própria habitação. A comprovar-se estes facto, trata-se de algo que foi premeditado e não de um crime de oportunidade ou que foi pensado naquela noite.

A motivação para o desenrolar dos acontecimentos parece estar assente na ideia de que este artista tinha muito dinheiro e muito ouro em casa. Uma vez que Mota Jr tinha por hábito ostentar maços de notas, vários fios de ouro e carros de alta cilindrada nos videoclips, o que deverá ter motivado o crime.

No dia seguinte ao desaparecimento do músico, os suspeitos terão invadido a residência de Mota Jr, numa tentativa de roubar os bens que procuravam.

Miguel Fernandes