Há um canal de Youtube que se tornou numa importante ferramenta de terapia mental de grupo e que é notícia no Reino Unido porque já conta com meio milhão de subscritores.

“Imlonely” (Estou Sozinho, em português) começou por ser um diário musical, na plataforma de vídeos, mas tem vindo a transformar-se numa comunidade direcionada para a saúde mental, que providencia apoio a milhares de jovens que estão a passar por fases difíceis das suas vidas.

Por detrás do projeto digital, está Hunter. Um rapaz de 23 anos, do País de Gales, que sofre de ansiedade. O jovem produz “remixes” de algumas músicas comerciais e coloca-as no seu canal, consoante o que está a sentir naquele momento.

Chamar-lhes-ia família. Eles sentem que fazem parte de algo”, disse Hunter sobre os seus subscritores à BBC.

 

O canal começou por um ser um diário do meu humor. O meu gosto sempre se baseou no que sinto e não no género musical”, explica.

O que começou por ser apenas um escape da realidade, rapidamente se transformou em algo maior. As músicas modificadas por Hunter já contam com milhões de visualizações e o canal tem agora mais de meio milhão de subscritores, na maioria com idades entre os 13 e os 24 anos.

Os utilizadores começaram a comentar nos vídeos que se identificavam com a arte de Hunter, a partilhar como se sentiam e a providenciarem apoio mútuo entre si.

Quase sem querer, o músico criou um espaço onde os membros podiam falar abertamente sobre o seus sentimentos e estado psíquico.

Um dos subscritores deste canal é Monica. Uma jovem de 18 anos, das Filipinas, que viu nas músicas de Hunter um escape da realidade.

Em 2019, a irmã de Monica foi diagnosticada com uma doença degenerativa nos rins. A adolescente passou a ter de fazer sessões de hemodiálise durante várias horas do dia. Monica era quem acompanhava a irmã.

Mal dormia, mal tinha tempo para mim própria, porque tinha tantas coisas para fazer. Uma das poucas coisas que podia fazer era ouvir música”, explica Monica.

 

No fim de 2019, a irmã de Monica acabou por morrer. A subscritora do “Imlonely” diz que foi um dos momentos mais difíceis pelo qual passou.

A comunidade realmente ajudou-me muito, especialmente em 2019. Aquele foi o pior ano da minha vida, estava mentalmente muito instável”, revela a subscritora de Hunter.

 

Nuno Mandeiro