A cantora Lena D'Água, com o álbum "Desalmadamente", venceu o Prémio José Afonso, no valor de 5.000 euros, anunciou hoje a Câmara Municipal da Amadora, que atribuiu o galardão.

O júri do Prémio José Afonso/2020, constituído pelos compositores Pedro Teixeira da Silva, em representação da Câmara da Amadora, e Sérgio Azevedo, em representação da Escola Superior de Música de Lisboa, e pelo vencedor da edição do ano passado, o músico António Zambujo, e decidiu, "por unanimidade, atribuir o prémio ao álbum 'Desalmadamente', de Lena D'Água", divulgou a edilidade.

Sobre "Desalmadamente", o júri considerou que se trata de um álbum composto por "brilhantes composições de Pedro da Silva Martins, e onde Lena D'Água demonstra uma capacidade vocal impressionante. Além de premiar o disco, premeia-se também a carreira da cantora Lena D'Água e a sua enorme capacidade de se reinventar".

Todas as letras e músicas de "Desalmadamente" são da autoria de Pedro da Silva Martins (ex-Deolinda). A produção é de Sérgio Nascimento, Mariana Ricardo, Francisca Cortesão e Benjamim.

O júri decidiu ainda atribuir uma menção honrosa ao álbum "Vida Nova", de Manel Cruz, "pelas suas composições fantásticas", anunciou a autarquia.

Esta é a 32.ª edição do Prémio José Afonso, que tem como objetivo "homenagear o cantor e compositor [de 'Grândola, Vila Morena'] e incentivar a criação musical de raiz portuguesa, distinguindo um álbum inédito", editado no ano anterior ao da edição do prémio, "cujo tema tenha como referência a Cultura e a História portuguesas".

/ MJC