O músico e produtor português Guilherme Inês, que integrou os Salada de Frutas e o Quarteto 1111, morreu hoje, em Lisboa, aos 70 anos, disse à Lusa fonte próxima da família.

Guilherme Inês, que nasceu em Lisboa em abril de 1951, começou a carreira na música ainda na década de 1960, a tocar guitarra nos Sharks e nos Hooks.

A mudança para a bateria deu-se quando integrou os Zoo, com quem gravou um álbum em 1969.

Em 1970, integra os Chinchilas, liderados por Phil Mendrix.

Na década de 1970 e início de 1980, acompanhou, ao vivo e em estúdio, músicos como José Cid, José Afonso, Fausto e Vitorino, tendo gravado a bateria em álbuns como “Pano Cru” e “Campolide”, de Sérgio Godinho.

O músico e produtor integrou também grupos como os Objectivo (ainda na primeira metade da década de 1970), os Salada de Frutas, que tinham Lena D’Água como vocalista, e uma das formações do Quarteto 1111, banda da qual fizeram parte José Cid e Tozé Brito.

No início da década da 1980, com José da Ponte, fundou os estúdios Namouche, em Lisboa, onde produziu temas e álbuns de vários artistas, como Dora ou Dulce Pontes.

Além de músico e produtor, Guilherme Inês foi também coautor de alguns temas, entre os quais “Se cá nevasse”, dos Salada de Frutas, e “Não sejas mau pra mim”, com o qual Dora representou Portugal no Festival Eurovisão da Canção em 1986.

Guilherme Inês estava atualmente a preparar a reedição do álbum “Se cá nevasse” dos Salada de Frutas, editado originalmente em 1981.

/ PP