Os Rolling Stones anunciaram a retirada do seu clássico “Brown Sugar” da atual digressão pela América do Norte, uma das canções mais polémicas da banda, que foi alvo de críticas durante vários anos por fazer um retrato sexista de uma jovem mulher de raça negra.

Em entrevista ao Los Angeles Times, o vocalista Mick Jagger explicou que a banda decidiu retirar a canção da lista dos concertos agendados para a “No Filter Tour” (Digressão Sem Filtros), sem descartar, porém, um eventual regresso do clássico às atuações ao vivo.

A letra do clássico “Brown Sugar”, lançado em 1971, faz referência a uma mulher de raça negra, escrava, que é "chicoteada pela meia-noite". O refrão da música repete ainda o termo “Brown sugar” (doce negro), referindo-se à mulher, e questionando-a: “como tens esse sabor?”

Já em dezembro de 1995, Mick Jagger confessou, numa entrevista à revista Rolling Stone, que, “se fosse agora, não teria escrito aquela música”.

“Não pensei naquele momento [da composição da música]. Nunca voltaria a escrevê-la”, admitiu.

Questionado sobre o porquê da retirada da música das atuações ao vivo, o guitarrista Keith Richards defendeu que a canção “aborda os horrores da escravidão” e que a banda está a “tentar enterrá-la”. Admitiu, contudo, que gostaria de tocar uma versão da música no futuro.

A agenda do próximo mês dos Rolling Stones está preenchida com a digressão “No Filter” (Sem Filtros), a primeira do grupo desde a morte do baterista Charlie Watts, em agosto passado.

Beatriz Céu