Uma transmissão na Internet da primeira semifinal da Eurovisão, em Israel, foi alvo de ataque de um “hacker”. A emissão foi interrompida por uma série de explosões falsas, na cidade que recebe o concurso este ano, Tel Aviv.

Os espectadores que assistiam ao espetáculo através da emissora Kan foram alertados para um ataque fictício na cidade. De acordo com a Reuters, foram mostradas imagens de explosões, acompanhadas pelo som de sirenes. As imagens aéreas divulgadas mostravam ainda um local perto do recinto da cerimónia, com o aviso: “Israel não é seguro”.

A transmissão contou ainda com a legenda: “risco de ataque por míssil. Por favor, abriguem-se”.

O vídeo esteve ainda dez minutos no site, antes da emissão online retornar ao normal.

Contudo, as autoridades garantem que a emissão televisiva do concurso não sofreu qualquer tipo de interrupção.

Segundo a BBC, o movimento Hamas foi culpabilizado pela interrupção, por uma rádio estatal de Isreal, mas o grupo de militantes palestiniano não comentou ainda a acusação.

Sabemos que a um dado momento houve uma tentativa, aparentemente do Hamas, de comandar a nossa transmissão digital. Orgulho-me de poder dizer que em poucos minutos assumimos o comando deste fenómeno”, afirmou Eldad Koblenz, chefe-executivo da KAN, à Rádio do Exército de Israel.

A emissora menosprezou desta forma o ataque, garantindo que a noite terminou sem mais incidentes.