O rapper Fetty Wap foi detido e indiciado de participar numa conspiração para traficar grandes quantidades de heroína, fentanil e outras drogas para a região de Nova Iorque.

O músico, cujo verdadeiro nome é Willie Maxwell, foi detido na quinta-feira no estádio Citi Field, casa dos New York Mets, enquanto participava no Rolling Loud, um festival de hip-hop.

Além de Fetty Wap, outras cinco pessoas são alvo da investigação, de acordo com a procuradoria de Nova Jérsia, sendo que uma delas tem responsabilidades no sistema prisional.

O facto de termos detido um artista de rap famoso e um oficial de correções [alguém responsável pelo comportamento de prisioneiros] mostra quão vil se tornou o negócio da droga", pode ler-se num comunicado do gabinete do FBI de Nova Iorque.

Segundo a indiciação, Fetty Wap e os outros arguidos terão distribuído mais de 100 quilogramas de heroína, fentanil e cocaína em forma de crack entre junho de 2019 e junho de 2020. O esquema envolvia o uso dos correios e carros com compartimentos secretos, meios esses utilizados para passar a droga desde a costa oeste até Nova Iorque e Nova Jérsia.

O rapper, de 30 anos, diz-se inocente, mas mesmo assim não conseguiu obter uma saída com fiança.

Fetty Wap tem mais de oito milhões de ouvintes mensais na plataforma Spotify. O êxito "Trap Queen", lançado em 2015, chegou mesmo a ser o número dois do ranking da Billboard. Atualmente tem mais de 750 milhões de visualizações no Youtube.

António Guimarães