Kelley Linch, a ex-manager de Leonard Cohen, foi acusada de assédio e perseguição ao cantor por um tribunal na cidade norte-americana de Los Angeles.

Cohen, de 77 anos, despediu a outrora companheira de negócios em 2004 e apresentou queixa em tribunal por desfalques na sua fortuna em 2005. Desde então que Kelley Linch tem vindo a atormentar a vida do cantor.

No processo que entregou em tribunal, o artista queixou-se de ameaças de morte por telefone e mensagens por correio eletrónico, e acusou Kelley de ter tentado destruir a sua reputação ao inventar que ele consumiu drogas.

De acordo com informações da BBC, a ex-manager de Cohen foi considerada culpada pelos atos que praticou, apesar de o advogado de Kelley referir que esta os fez como um pedido de ajuda e não com intenções criminais.

«Eu não ia correr esse risco, de uma pessoa que deixa mensagens violentas e dementes poder aparecer ao pé da minha casa», disse Leonard Cohen, citado pela BBC.

Kelley Linch enfrenta agora uma pena até cinco anos de prisão pelas acusações e ameaças que fez ao cantor norte-americano neste último ano.
Redação / AC