O compositor, pianista e também fotógrafo Bernardo Sassetti, falecido em maio passado, começa esta quinta-feira a ser evocado num ciclo de iniciativas em Lisboa, que congrega o Teatro Municipal S. Luiz, Teatro do Bairro e a Galeria 3+1, escreve a agência Lusa.

«Fragmento, movimento, ascensão» é o nome da evocação que reúne música, fotografia e cinema, três artes em que Bernardo Sassetti demonstrou o seu talento.

Esta noite, no Teatro do Bairro, às 21h00, é exibido o filme «A Costa dos Murmúrios», de Margarida Cardoso, iniciando-se as projeções dos filmes para os quais Sassetti compôs música.

Assim, até domingo, no Teatro do Bairro, na rua Luz Soriano, serão exibidos «Um amor de perdição» e «O milagre segundo Salomé», de Mário Barroso, «Alice», de Marco Martins, e «Quaresma», de José Álvaro Morais.

Também esta quinta-feira, na galeria 3+1, na rua António Maria Cardoso, junto ao S. Luiz, no Chiado, é inaugurada uma exposição de fotografia de Bernardo Sassetti, às 19h00, que estará patente até ao dia 16. A exposição é comissariada por Daniel Blaufuks.

No Teatro de S. Luiz realizar-se-ão concertos e serão repostas entrevistas do músico, às emissoras de rádio e televisão, a par de tertúlias dedicadas ao génio criativo do músico e compositor.

«Um criador único nas suas múltiplas expressões» - é assim que o Teatro Municipal S. Luiz define Bernardo Sassetti.

Na sala principal deste teatro municipal de Lisboa, será «reposto», sexta-feira, o concerto «Music Around Circles», apresentado em 2009 por Sassetti, construído a partir da composição para o filme de Marco Martins «Como desenhar um círculo perfeito».

A música é de Bernardo Sassetti e será interpretada por João Paulo Esteves da Silva (piano) e Filipe Quaresma (violoncelo), contando ainda com a participação dos atores Rafael Morais e Joana Verona.

No sábado, na mesma sala, apresenta-se o Trio Bernardo Sassetti, numa versão de homenagem em que, ao piano - no lugar do músico -, se cruzarão Filipe Melo, Luís Figueiredo e Pedro Burmester, mantendo-se Alexandre Frazão, na bateria, e Carlos Barreto, no contrabaixo, os dois outros elementos daquele que, com Sassetti, era o combo português mais antigo em atividade.

Este concerto conta com as participações dos saxofonistas Perico Sambeat e Carlos Martins, do violoncelista Ajda Zupancic e do guitarrista André Fernandes, que colaboraram com Bernardo Sassetti em vários projetos de palco e em estúdio.