O museu dedicado ao grupo musical sueco ABBA vai ser inaugurado em Estocolmo a 7 de maio de 2013, reunindo músicas, filmes, roupas e outros objetos da banda separada há trinta anos.

De acordo com a edição online do jornal britânico «The Guardian», o edifício de quatro andares em madeira escandinava que vai acolher o museu está gradualmente a destacar-se na ilha de Djurgaarden, em Estocolmo.

A estrutura fica localizada numa zona turística, entre a maior feira de diversões da cidade, e um navio de guerra do século XVII restaurado.

Os ABBA formaram-se nos anos 1970 e conquistaram fama em todo o mundo depois de vencer o festival Eurovisão da Canção em 1974, com a música «Waterloo», seguindo-se inúmeros êxitos, como «Super Trouper» e «Dancing Queen».

De acordo com o diretor e gerente do museu, Mattias Hansson, são esperados a partir de maio centenas de milhares de turistas para recordar as roupas, acessórios, músicas e outros objetos dos anos 1970 que a banda usou ao longo dos anos em que viveu um sucesso estrondoso.

«Até agora os turistas vinham a Estocolmo e perguntavam aos serviços do turismo onde poderiam ver algo sobre os ABBA, mas eram forçados a responder: em lado nenhum. Mas isso mudará em maio», salientou o responsável.

O museu irá chamar-se ABBA The Museum, e o preço das entradas custará 195 coroas suecas (cerca de 22,60 euros).

Björn Ulvaeus, um dos músicos da ex-banda apadrinhou o projeto sobre a histórica banda, que já vendeu quase 400 milhões de discos.

Separados em 1982, os quatro membros - Björn Ulvaeus, Agnetha Fältskog, Benny Andersson e Anni-Frid Lyngstad - nunca mais se viriam a reunir.

O musical «Mamma Mia!», que reúne as músicas mais conhecidas do grupo sueco, é aquele que permanece há mais tempo na Broadway, em Nova Iorque e no West End de Londres.
Redação