Declarações de Costinha, treinador do Nacional, na conferência de imprensa após o empate a zeros frente ao Desp. Aves, em jogo da 28.ª jornada da Liga:

«O Desp. Aves veio com o objetivo de não sofrer golos. Na primeira parte, poderíamos ter feito um jogo um pouco mais rápido. Houve alguma lentidão naquilo que foi a troca de bola, mas não posso apontar nada aos meus jogadores. O detalhe de fazer o golo ou o passe correto é técnico e aí cada qual tem a sua técnica.

Tivemos algumas boas oportunidades para poder desbloquear o marcador e obrigar o Aves a jogar um pouco mais subido e conceder um pouco mais de espaço. Era difícil para nós, com tantos jogadores que formavam o meio-campo, e fácil para eles, que tinham um outro meio-campo completamente aberto para poder explorar a velocidade dos seus contra-ataques. A estratégia deles e foi bem conseguida.

A ansiedade não nos afetou, porque, se nos tivesse afetado, não tínhamos criado situações de golo. Temos de corrigir o gesto e ser eficazes. Não podemos ter três ou quatro ocasiões e não fazer um golo.»

[Permanência mais difícil?] «Não vamos abandonar esta corrida, pois ainda faltam vários jogos, que podem ser difíceis ou fáceis, mas temos de os jogar de uma maneira profissional e ambiciosa. Acredito que podemos ter um final feliz.»

Raul Caires / Estádio da Madeira, Funchal