Um pedófilo e uma menina de 13 anos foram encontrados mortos num quarto de motel, na manhã de domingo, em Porto Alegre, no Brasil. O casal mantinha uma relação amorosa às escondidas, pois nem a mãe da menor, nem a família do professor aceitavam a relação. Inicialmente, a polícia suspeitou de um pacto suicida, mas agora crê que o homem matou a rapariga, conta o Estadão.

Gabriela Muratt, de 13 anos, foi dada como desaparecida pela sua mãe na sexta-feira. Não demorou muito até a polícia ligar o desaparecimento ao professor de piano da menina. Marco Maronez Júnior, de 31 anos, tinha-se separado da mulher recentemente e era pai de uma criança. Tinha saído de casa na noite de quinta-feira e nunca mais tinha sido visto.

O casal foi encontrado a agonizar no quarto de motel, que tinham alugado. Os donos estranharam o casal não ter abandonado o quarto às 08h00m de domingo, como combinado e avisaram a polícia.

Quando entraram no quarto encontraram os dois amantes na cama, ainda vivos, mas feridos com um tiro na cabeça, de acordo com o Correio da Manhã. Foram transportados para o hospital, mas não resistiram ais ferimentos.

Junto dos corpos estavam duas armas de fogo, de calibre 32 e 38 e duas cartas. Tudo parecia indicar um pacto suicida entre os namorados, mas a polícia descartou a hipótese. Ao que parece, Marco matou a namorada e suicidou-se de seguida.

Os donos do motel podem enfrentar uma multa pesada, pois a lei do país não lhes permite hospedar menores de 18 anos.

O corpo da menina foi enterrado esta segunda-feira. O corpo do professor ainda não tinha sido libertado pelo Instituto de Medicina Legal.