O ministro do Ambiente fez um balanço positivo da conferência das Nações Unidas sobre alterações climáticas que decorreu em Poznan, na Polónia, destacando a definição de uma agenda de trabalhos para o encontro de Copenhaga, em 2009.

«O balanço é positivo e optimista para a reunião de Copenhaga», que está agendada para Dezembro de 2009, disse à agência Lusa Francisco Nunes Correia, salientando a definição de uma agenda de trabalhos que inclui o plano denominado de Poznan sobre transferência de tecnologias menos poluentes e a operacionalização do fundo de adaptação.

O objectivo do encontro era traçar o programa de negociação para se chegar a um acordo contra o aquecimento global que substituirá o protocolo de Quioto em 2012, e que vai ser definido numa nova conferência da ONU marcada para Dezembro de 2009, em Copenhaga.

«Esta reunião serviu para definir uma agenda de trabalhos, que terá seis ou sete reuniões até Dezembro, operacionalizar o fundo de adaptação, avançar com o plano de trabalho para definir as regras de concessão de incentivos aos países em desenvolvimento para evitar a desflorestação e a aprovação do plano de Poznan, ou seja, mecanismos de desenvolvimento limpo», acrescentou o ministro do Ambiente.

Nunes Correia lembrou que o problema das alterações climáticas é visto pelas Nações Unidas como uma questão de desenvolvimento, pelo que é importante apoiar os países mais pobres, uma vez que se estes seguirem o modelo dos países industrializados, a situação agravar-se-á.

O ministro recordou que a Europa continua a ser uma região liderante nesta área e sublinhou que os representantes dos EUA presentes no encontro deram a garantia que, na reunião de Copenhaga, o país «tudo fará para alcançar um acordo ambicioso», o que na opinião do governante, é motivo de optimismo.

«O processo negocial é lento, mas há boas condições para chegar resultados verdadeiramente importantes em Copenhaga em Dezembro de 2009 e a Europa está a dar o seu contributo», concluiu o ministro.