No seu espaço de comentário semanal, no Jornal das 8 da TVI, "Global", Paulo Portas começou por analisar o regresso do Brexit ao impasse, depois de as negociações entre o Governo e os trabalhistas terem terminado sem acordo.

Para o comentador da TVI, "Theresa May é um fantasma que se arrasta".

O antigo líder do CDS falou também sobre os possíveis resultados das eleições europeias, marcadas para o próximo domingo, dia 26 de maio. Sobre este tema, Paulo Portas alertou para a provável ocorrência de dois fenómenos: o "ressurgimento" dos Verdes na Alemanha, que as previsões apontam que irão ficar no segundo lugar, e o aumento do poder de Marine Le Pen, líder da Frente Nacional, em França, que poderá ser a candidata mais votada.

Houve espaço ainda para abordar a questão da tensão comercial entre os Estados Unidos e a China. Recorde-se que Donald Trump aumentou de 10% para 25% as tarifas sobre os produtos chineses e a China retaliou, aumentando as tarifas sobre as importações de produtos dos Estados Unidos.

A China perde mais que os EUA nesta tensão comercial", defendeu Paulo Portas, acrescentando que a política económica de Trump tem mostrado bons resultados.

Sobre a crescente tensão entre os Estados Unidos e o Irão, que muitos analistas dizem tratar-se de "um ambiente de pré-guerra", o comentador da TVI salientou que os americanos "têm medo do Irão". 

Devido a esta tensão, esta semana os Estados Unidos alertaram os aviões comerciais para o risco de sobrevoar Golfo Pérsico. Para Paulo Portas, esta é mesmo "uma das zonas mais perigosas do mundo".

Como nota final, Paulo Portas deixou uma homenagem ao arquiteto responsável pela pirâmide do Museu do Louvre, em Paris: o chinês I. M. Pei, que morreu esta semana aos 102 anos.