Manuela Ferreira Leite reagiu à detenção de Luís Filipe Vieira, confessando que não ficou surpreendida. Ainda assim, frisou que “não gostaria” que este tema “servisse para distrair as pessoas dos verdadeiros problemas do país”.

Todos esperamos que o tema seja esclarecido”, afirmou, frisando que “ao ser lesado o Estado, somos todos nós”.

Seguindo o mesmo pensamento, relembrou que “tem sido muito noticiado” grandes negócios que envolvem o Estado e que “se o Estado não se intrometesse tanto em certo tipo de atividades, e se limitasse a olhar pelas tarefas que é insubstituível, se calhar não haveria tantas evidências de prejuízo público”

"O próximo orçamento é absolutamente vital”

A antiga ministra das Finanças fez ainda um alerta para “o problema muito sério que o Estado enfrenta” e para a “situação grave” da economia do país.

"Estamos numa situação grave, temos uma oportunidade única. Precisamos de relançar a nossa economia. É quase uma situação dramática e uma oportunidade que não pode nem deve ser perdida… E nós mantemo-nos a direito e em ponto morto”.

 Não há um projeto. Não se sabe para onde se vai”, constatou, preocupada, destacando que "estamos a desperdiçar recursos, a fazer despesa".

Redação