Miguel Sousa Tavares destacou, esta segunda-feira, no Jornal das 8, a responsabilidade do Brasil nos incêndios que têm devastado a Amazónia e garantiu que o país tem o dever de defender a floresta, numa altura em que as políticas de Bolsonaro têm posto em causa os ecossistemas.

O Brasil tem colonizado a Amazónia da pior maneira possível", "saqueando as suas riquezas" e pondo em causa a vida das populações indígenas, referiu o comentador da TVI.

Para Miguel Sousa Tavares, o presidente brasileiro ainda não percebeu que na Europa a questão ambiental se está a tornar muito importante e que os próprios consumidores europeus podem boicotar o consumo de carne brasileira, prejudicando a sua economia, caso associem a atividade agropecuária à desflorestação.

O boicote não será de governos, mas de consumidores”, acrescentou.

A opinião é partilhada por Francisco Ferreira, da Associação Zero, que, em entrevista ao Jornal das 8, garantiu que a situação ambiental atual é muito grave, porque “o Ártico está a arder e a quantidade de carbono que libertou no verão é o equivalente à quantidade que já se perdeu pelos incêndios na Amazónia”.

Estão a aumentar cada vez mais os níveis de CO2 na atmosfera e as consequências das alterações climáticas, quando a Amazónia é um elemento de regulação climática à escala mundial”, garantiu, sublinhando que “não se trata apenas da área em causa, mas o que cada hectare ali representa”.

Bolsonaro é apontado como grande culpado dos incêndio na Amazónia, porque "o novo governo permitiu que as queimadas e a desflorestação acontecessem".

Durante o Jornal das 8 houve ainda tempo para outra entrevista, desta vez com o jornalista Pedro Santos Guerreiro que analisou as possíveis consequências de uma recessão global na economia portuguesa.

Ainda é cedo para falar de uma recessão global, mas não é cedo para dizer que isto vai inevitavelmente afetar Portugal”, referiu, dizendo que o ano passado foi um período de pico de crescimento económico no país, mas que o "Financial Times diz que tivemos sorte", porque o turismo já está a abrandar.

Também numa nota sobre a atualidade portuguesa, Miguel Sousa Tavares disse que "a direita está completamente morta e liquidada” e que o CDS e Rui Rio se "suicidaram" com a questão dos professores, pelo que "António Costa já não pode perder votos daqui para a frente, só acrescentar à esquerda” e, por isto, tem tecido comentários negativos sobre o Bloco de Esquerda.

Já no que diz respeito à polémica greve dos motoristas, o comentador da TVI garantiu que “nunca o Governo se empenhou tanto para boicotar uma greve e ainda bem que o fez” e apontou o dedo a quem teve a "hipocrisia de ter vindo criticar o Executivo" depois da tomada de decisões durante a paralisação.