"Estas cimeiras só se realizam com quando há alta probabilidade de correr bem". Mas entre Donald Trump e Kim Jong-Un não correu, foi mesmo um "estampanço", na análise feita por Paulo Portas, no seu espaço de comentário semanal, no Jornal das 8 da TVI.

Foi um estampanço de Trump e acessoriamente do líder da Coreia do Norte que quer fazer o acordo protegendo os seus interesses a um ponto que não é aceitável pelos Estados Unidos".

O countdown a que assistimos para o Brexit também foi tema inevitável, com Portas a destacar a "possibilidade" de a primeira-ministra britânica "estar perto de conseguir maioria para o seu acordo".

Também o conflito entre a Índia e o Paquistão foi analisado. Registaram-se ataques aéros mútuos na última semana. "Ambos são países nucleares: parece que aumenta o risco, mas ao mesmo tempo é um dissuasor".

Noutro plano, o terrorismo. Os Estados Unidos estão a oferecer uma recompensa de 1 milhão de dólares a quem der informações sobre um dos filhos de Bin Laden. "A questão do terrorismo pode estar enfraquecida, mas não terminada".

Neste "Global", destaque ainda para a fotografia que assinala uma mudança em Moçambique, a leitura política que Paulo Portas faz dos Óscares e o porquê de uma uma estátua de quatro metros do rei Felipe, de Espanha, ser uma metáfora sobre a "dificuldade" que é o país.