Rui Moreira disse esta sexta-feira que a entrevista de José Sócrates na TVI foi penosa de se observar porque o antigo primeiro-ministro tentou contar aos portugueses algo que já não os convence.

A entrevista, diz o comentador, serviu para confirmar que, “no fundo”, o ex-líder socialista “acha que somos todos tontos”.

Estas histórias (de José Sócrates) só acentuam o sentimento de que o engenheiro tentou convencer-nos de algo que já ninguém acredita”, afirma Rui Moreira.

O presidente da Câmara Municipal do Porto admite ainda uma lentidão dos processos judiciais, mas explica que a complexidade do processo é também verificada em países como o Reino Unido, apontando para a exoneração de Vale e Azevedo noticiada esta sexta-feira pela TVI.

Ainda assim, diz o comentador, “a novela ainda não acabou, mas Sócrates morreu politicamente após esta entrevista”.

Moreira sublinha ainda que o ataque de Sócrates à cúpula do Partido Socialista não fez mais do que beneficiar o partido de António Costa que quer distanciar-se do “elefante”.

Sobre o processo de desconfinamento, que na segunda-feira entra numa nova fase, Moreira acredita que o retrocesso e a suspensão do caminho para algumas autarquias é prejudicial e baseada numa “excessiva numeralização”.

O comentador afirma que os critérios quinzenais não reproduzem uma imagem fiel da situação epidemiológica em algumas autarquias que podem ter os respectivos surtos resolvidos no momento em que o resto do país dá um passo em frente.

São modelos matemáticos que dificilmente se adequam aos nossos comportamento cívicos”, destaca.

Rui Moreira apela ainda a que a sensibilização para os cuidados sanitários deve ser acentuada: “Vejo muitas pessoas sem cumprir as obrigações mínimas que a situação pede. Envergam mal as máscaras, usam-nas no queixo, ou destapam a boca”.