Paulo Portas não acredita que Theresa May se demita caso o acordo para o Brexit seja chumbado pelo parlamento britânico na terça-feira. No seu espaço de comentário semanal no Jornal das 8, da TVI, "Global", Portas analisou, este domingo, a questão do Brexit e o que pode acontecer se o acordo não for aprovado.

 Há um crescente alarme tanto em Londres como em Bruxelas de que pode ser preciso mais tempo. (...) Theresa May parece agarrada à cadeira com cola, não me parece que saia", frisou.

Outro dos temas em análise, este domingo, foi a declaração do ministro das Finanças e vice-chanceler alemão, que afirmou que acabou o tempo das vacas gordas na Alemanha, mostrando-se contra qualquer redução de impostos e contra o investimento público.

Isto tem uma cosnequência: a Alemanha é demasiado importante na Europa para que isto não tenha efeitos noutras economias", lembrou Paulo Portas.

Sobre a Venezuela, o comentador da TVI referiu que "há dois estudos que apontam para um ano de 2019 terrível em termos de migrações". "Já saíram três milhões de venezuelanos. Em 2019, a emigração pode chegar a 5 milhões ou 8 milhões", acrescentou.

Já relativamente ao shutdown nos EUA, isto é, à paralisação temporária do governo norte-americano devido à falta de acordo para a construção do muro na fronteira com o México, Portas lembrou que "Trump pode invocar o chamado decreto de emergência e ir buscar uma reserva que há nas verbas da Defesa".

Outro dos assuntos em destaque este domingo foi o acordo assinado entre o Estado e ANA - Aeroportos para o novo aeroporto do Montijo. Paulo Portas frisou que "esta decisão é exatamente igual à tomada pelo governo PSD/ CDS em 2015" e, por isso, questionou:

Por que se demorou três anos a fazer o acordo com a ANA?."