Constança Cunha e Sá começou por relembrar que a esquerda tinha decidido silenciar os partidos com um único deputado. A comentadora explica que era "óbvio" que PS, BE, PCP e PEV iriam ser obrigados a recuar nesta decisão.

O tem de ser tem muita força", realça Constança Cunha e Sá, dizendo ainda que ficou claro que "os partidos integrados na AR procuravam silenciar os novos partidos".

A especialista em política explica que os partidos de esquerda se esqueceram que há quatro ano haviam aberto uma exceção para o PAN e que seria "inaceitável" que tal não se voltasse a repetir para Chega, Livre e Iniciativa Liberal.

Já em relação ao cenário político em Espanha, Constança Cunha e Sá relembra, que apesar da coligação entre PSOE e o Podemos, a formação de Governo ainda não está garantida.

Pedro Sánchez errou quando marcou eleições", refere Constança Cunha e Sá.

A comentadora da TVI explica que "não faz sentido" o PSOE recusado vários governos de coligação nos últimos meses e agora em 48 horas Pedro Sánchez e Pablo Iglesias terem chegado a acordo.