Classe. Atitude. Experiência de vida. Inteligência. É esta mulher que Emmanuel Macron escolheu há muitos anos para partilhar a vida com ele. Brigitte ajudou-o a chegar ao Eliseu e ele reconheceu-o. 

Brigitte contribuiu decisivamente com a sua presença nos momentos certos para que o marido fizesse esta caminhada.

Transmitem uma imagem de serenidade e de cumplicidade. Só um grande homem seria capaz de assumir sem reservas uma mulher 24 anos mais velha. Admirável. Ela acrescenta-lhe credibilidade. Carisma. Solenidade.

Em Portugal, esta forma de estar na vida seria pouco provável. Complexados, preconceituosos, medrosos, os homens portugueses não estão à altura desta grandeza. Sempre que em Paris perguntava sobre a diferença de 24 anos entre Emmanuel e Brigitte, olhavam para mim como se eu fosse uma extraterrestre. Diziam-me: qual é o problema? Para os franceses, esse não é um tema. 

E de facto no mundo civilizado não é. Talvez por isso é que a França seja a França em termos de mentalidades e nós sejamos assim uma espécie de povo amedrontado. Falta-nos arrojo. Ousadia. Coragem. Falta-nos crescimento apesar de sermos a nação mais antiga da Europa. 

Emmanuel e Brigitte fazem agora um dos casais mais bem preparados na classe política europeia. 24 anos? E depois?

Sejamos grandes. Pensemos em grande. Chapeau!