Manuela Ferreira Leite comentou, no seu espaço às quintas-feiras na 21.ª hora, que o estado de endividamento das famílias portuguesas atualmente “é preocupante”.

O caso das famílias é preocupante", disse a comentadora sobre o facto de os portugueses estarem mais endividados. "Seria bom que a confiança desse para poupar e preparar maus momentos", continuou.

A ex-ministra das Finanças disse que "a confiança dá para gastar e não para poupar".

A poupança está em níveis historicamente baixos" e "já há insolvências após dois anos de empréstimos", alertou Manuela Ferreira Leite, acrescentando que as “pessoas estão a entrar em níveis de insolvência piores do que na crise".

"Redução do IVA nos espetáculos tem a ver com a receita"

Manuela Ferreira Leite, sobre a descida da taxa de IVA em espetáculos para 6%, afirmou que esta é uma redução que “tem a ver com a receita” e que “é uma maneira de o Governo ficar bem na fotografia”.

A comentadora admite que as “touradas sejam um setor de polémicas", mas lembra os “festivais de verão”, onde aí “a perda de receita seria significativa".

Acho alguma graça ao facto de se enganar as pessoas de forma primária", sublinhou, ao lembrar que esta é uma medida que só terá efeitos a partir de julho de 2019, no último semestre e, sendo o IVA pago trimestralmente, “e, portanto, os efeitos no Orçamento desta medida são nulos”.

Vinte anos depois do referendo sobre a regionalização, cujo resultado foi o chumbo, Manuela Ferreira Leite teme “que haja aproximação encapotada para a regionalização" porque "o grande problema da regionalização é aumentar a despesa pública".

A ex-ministra frisou que o "problema da descentralização não tem a ver com a regionalização".

Sou a favor da descentralização e contra a regionalização. Não temos dimensão para retalhar o país. As assimetrias seriam bastante agravadas" com a regionalização, explicou.

A "regionalização teria de ser feita com régua e esquadro" e "espero que a regionalização não venha atrás da descentralização", concluiu a comentadora.