O presidente norte-americano Joe Biden e o presidente russo Vladimir Putin protagonizaram, esta semana, uma quase inédita troca de palavras, com o presidente americano a apelidar Putin de “assassino”. Paulo Portas lamentou o incidente, que diz fazer lembrar a Guerra Fria, e sublinha que é preciso haver alguns pontos de entendimento entre os dois chefes de Estado, sendo um deles o controlo do armamento nuclear.

Quando caiu o muro de Berlim, os democratas continuam a ser o partido mais anti russo e, muitas vezes, confundido a Rússia com a União Soviética. E Joe Biden está convencido de que a Rússia interferiu nas eleições americanas, tanto na de 2016 como na de 2020”, explicou.

“Não foi uma semana brilhante para a Europa”, foi assim que Paulo Portas começou por descrever os eventos que marcaram o combate à pandemia no plano europeu, nomeadamente com os impasses gerados com a vacina da AstraZeneca.

Os problemas com a vacina da AstraZeneca não foram, no entanto, registados do outro lado do Atlântico, porque o regulador americano não aprovou o fármaco britânico. Para Paulo Portas, o momento chave foi quando a Pfizer e a Moderna revelaram a taxa de eficácia das vacinas, precipitando a AstraZeneca para “se atirar para fora de pé”.

Na Europa, basta haver um coro de pessoas a fazer ruído e a amedrontar os Governos e os Governos entram em pânico”, apontou

O comentador da TVI sublinhou que Portugal continuou o seu “bom caminho” para manter o desconfinamento. Apesar de este sábado Portugal ser o país da Europa com a situação epidemiológica mais positiva, Portas recorda que “não há muito tempo” estivemos seis semanas no extremo oposto.

Para analisar mais detalhadamente o processo de desconfinamento em Portugal, antigo ministro disponibilizou os dados da plataforma digital Waze, para mostrar o contraste dos números durante o período de confinamento e os dados registados na última sexta-feira, onde houve um aumento de circulação na ordem dos 38% em Lisboa e dos 43% no Porto.

O R tem vindo a subir paulatinamente – está em 0,86 de acordo com a DGS – e como se sabe este é um dos indicadores que definem o que o país fará”, alertou.