No dia em que os 629 migrantes do "Aquarius" foram recebidos em Valência, Espanha, depois de rejeitados por Itália e Malta, o comentador da TVI Paulo Portas explicou, no Jornal das 8, neste domingo, por que motivo estas embarcações não se dirigem para Portugal quando se aproximam da fronteira.

Quando a fronteira se aproxima da Andaluzia, de Marrocos para a Andaluzia, por que é que estes migrantes não viram para Portugal? Primeiro, porque o objetivo essencial deles é chegar à Catalunha, ir para os Pirinéus, porque a imagem de prosperidade começa em França, depois Alemanha e depois países nórdicos. E, segundo, porque é lá nesses países do centro e do norte da Europa que têm famílias de acolhimento", indicou, no seu espaço de comentário "Global", todos os domingos, no Jornal das 8 da TVI.

Para Paulo Portas "é uma vergonha" o facto de haver países na Europa que não aceitam receber qualquer refugiado.

Ou a Europa é uma entidade política e tem uma política partilhada para esta matéria ou é cada um por si. E se é cada um por si, não se dão ao respeito. A Alemanha acolheu mais de 700 mil migrantes e a chanceler alemã por pouco não perdeu as eleições por causa disso. Na Europa de Leste há pelo menos cinco países que não receberam um único refugiado: Polónia, Hungria, Eslovénia, Eslováquia e Bulgária. Isto significa que não há vontade de partilhar o problema. Estes países de Leste, que são absolutamente não solidários com a fronteira externa da Europa, há 40 anos foram ajudados pela solidariedade internacional a libertarem-se da União Soviética. Estão com pouca memória."

VEJA TAMBÉM: