A presença de António Costa na comissão de honra da recandidatura de Luís Filipe Vieira à presidência do Benfica é um tema que está a marcar a semana. Mesmo depois de o atual dirigente máximo do clube da Luz ter anunciado a saída do primeiro-ministro (bem como de todos os outros políticos) da lista, o assunto esteve em destaque no comentário semanal de Manuela Ferreira Leite.

A antiga presidente do PSD começou por relevar que esta é uma questão antiga que, segundo a própria, foi iniciada por Rui Rio, quando o atual líder dos sociais-democratas, e à data presidente da Câmara Municipal do Porto, não permitiu que o FC Porto festejasse na sede da autarquia.

Na altura era contra a corrente aquilo que ele fez e agora é contra a corrente o que o primeiro-ministro fez", disse.

Para Manuela Ferreira Leite, este é um erro político de António Costa que não fica apagado depois de o seu nome sair da comissão de honra de Luís Filipe Vieira. A comentadora da TVI24 refere mesmo que todos os titulares de cargos políticos devem evitar participar de atos eleitorais como figuras de uma lista.

Era a mesma coisa que ele se ir envolver na escolha da administração de uma empresa. Todos os clubes são verdadeiramente empresas", comparou.

Alargamento da ADSE

O anúncio do alargamento da ADSE a todos os trabalhadores do Estado foi, para Manuela Ferreira Leite, um aspeto positivo, ainda que essa notícia possa ser "pouco", defendendo que este sistema, que funciona como um seguro de saúde, deve ter uma aplicação criteriosa dos descontos feitos pelos contribuintes.

Aquilo tem de ser governado como uma companhia de seguros. Tem de haver uma gestão profissional da ADSE", defendeu.

Assim, a comentadora considera que é bom que se pense na ADSE, mas vinca que este é um sistema que deve ser gerido de forma profissional, até porque este alargamento da cobertura pode prejudicar quem já beneficiava.

Por um lado entram mais receitas mas por outro lado há mais despesas. A ministra da Administração Pública tem de dizer que isto vai ter uma gestão profissional e qual o impacto deste aumento", referiu.

Manuela Ferreira Leite revela-se "preocupada com o tema", afirmando que a ministra, Alexandra Leitão, pode ter começado a tratar este assunto "pelo fim". 

/ AG