Fernando Medina analisou a tomada de posse de Marcelo Rebelo de Sousa, à frente da Presidência da República, e a decisão do Tribunal Central Administrativo do Sul, que anulou a indemnização de 238,6 milhões de euros que a Câmara Municipal de Lisboa estava obrigada a pagar à empresa Bragaparques.

O comentador da TVI considera que o discurso do Presidente se centrou na inclusão, afastando populismos e extremismos.

Fernando Medina concorda que Portugal nunca poderá regressar ao que era na véspera da pandemia. Tal como Marcelo, Medina considera que os efeitos colaterais da covid-19 acentuaram as desigualdades sociais no país.

Esta pandemia acentuou as desigualdades de forma muito significativa. Vamos sair desta pandemia com uma sociedade mais desigual”, explica Fernando Medina.

Em relação à decisão do Tribunal Central Administrativo Sul que deu razão à Câmara Municipal de Lisboa no caso Bragaparques, Fernando Medina considera que esta é uma vitória da cidade e de interesse público.

A autarquia não terá de pagar qualquer verba à Bragaparques, no âmbito do processo de permuta e venda dos terrenos do Parque Mayer e da antiga Feira Popular, em Entrecampos.

É uma vitória do interesse público”, diz Medina.

 

Nuno Mandeiro