Miguel Sousa Tavares afirmou que a proposta de lei que prevê a libertação de reclusos por causa da pandemia de Covid-19 foi desenhada "à medida para que o Rui Pinto continue em prisão preventiva". No Jornal das 8 da TVI, Sousa Tavares disse que "há poderes muito fortes neste país que não querem que o Rui Pinto saia cá para fora".

O comentador e editor do Jornal das 8 da TVI lembrou que nos critérios que constam nesta proposta incluem-se os reclusos com mais de 65 anos, aqueles a quem faltam dois anos de pena por cumprir por crimes leves, aqueles que já estão em saídas precárias. Mas de fora ficaram os que estão em prisão preventiva, como o hacker Rui Pinto.

Isto foi desenhado à medida para que Rui Pinto continue em prisão preventiva. O que é particularmente chocante quando os três inspetores do SEF, suspeitos do homicídio cometido no aeroporto em circunstâncias bárbaras, foram colocados em prisão domiciliári,  invocando a juíza o perigo de apanharem Covid-19."

"Para o Rui Pinto não há esse perigo, para os inspetores há perigo de apanharem Covid-19", continuou o comentador, com ironia. 

Sousa Tavares afirmou que desconfia que "Rui Pinto só sairá em liberdade quando entregar as disquetes desclassificadas à policia".

Há poderes muito fortes neste país que não querem que o Rui Pinto saia cá para fora."

A proposta de lei do Governo que estabelece um regime excecional para a libertação de reclusos das prisões portuguesas as prisões, no âmbito da pandemia Covid-19, vai ser votada em plenário, no Parlamento, na quarta-feira.

/ SS