Paulo Portas analisou no Jornal das 8 deste domingo as primeiras projeções das eleições em Espanha, que se realizaram pela quarta vez em quatro anos.

O comentador afirmou que o cenário de incerteza exclui umas quintas eleições dentro de meses: "pode ser que o impasse gerado pelas quartas eleições em quatro anos, gere as quintas eleições em cinco anos", assumindo que esta realidade "mostra como está Espanha politicamente".

Paulo Portas admitiu que não parece existir governo à vista, salientando que, "por inércia, pode ser que Sánchez fique no poder sem governar efectivamente".

Olhando para o contexto político de Espanha, Portas afirma que o "PSOE e a esquerda são penalizados pela instabilidade política" que surge da frequência que o povo espanhol tem ido às urnas nos últimos quatro anos. Há uma certa responsabilidade por gerar soluções e elas não existirem".

Sobre a questão separatista, o comentador diz que a "Catalunha não se moveu muito, o que dá uma ideia do impasse espanhol" e que é muito difícil governar em Espanha sem conseguir entrar na Catalunha e no País Basco.

É possível, ou provável que não saia daqui maioria alguma", alerta.

Paulo Portas