A despesa consolidada dos serviços nos encargos gerais do Estado cai 5,8 por cento em 2009 para um total de 3.177,2 milhões de euros.

Segundo o Orçamento do Estado (OE) para o próximo ano, o valor em causa representa 4% da despesa da Administração Central e 1,8 por cento do Produto Interno Bruto.

A descida de 194,3 milhões de euros face a 2008 é «determinada pelo efeito conjugado da alteração da contabilização do IRS destinado ao financiamento da administração local e do aumento do financiamento na Assembleia da República».

O Governo assume claramente que tem como prioridade «as funções sociais, considerando o esforço orçamental com maior peso no Ministério da Saúde, Trabalho e da Solidariedade Social e no Ministério da Educação».

No conjunto da despesa total consolidada, o subsector Estado, expurgado das transferências internas de cada ministério, representa cerca de 66,3%, enquanto que o subsector dos serviços e fundos autónomos, o que continua a apresentar um aumento na ordem dos 37,7%.
Rui Pedro Vieira