A Estação Espacial Internacional vai ser palco de uma tentativa de desenvolver uma vacina contra doenças causadas por salmonelas, revelou a agência espacial norte-americana (NASA).

A experiência destina-se a demonstrar a viabilidade da investigação em biotecnologia fora da Terra, pois a empresa Spacehab ¿ pioneira em detectar a vertente comercial do espaço ¿ acredita que a descoberta de uma vacina nestas condições pode atrair o investimento financeiro para pesquisas em biotecnologia naquela Estação.

A Spacehab enviou os testes a bordo do foguetão Discovery, lançado sábado com sete astronautas a bordo.

Em Setembro de 2006, uma equipa organizada por Timothy Hammond, de um centro médico da Carolina do Norte, descobriu que a potência da bactéria podia ser triplicada em microgravidade, permitindo obter, por manipulação genética, uma célula estaminal de salmonela que pode conduzir a uma vacina.

Na Terra, a virulência da bactéria dissipa-se demasiado rapidamente para ter a possibilidade de desenvolver as células estaminais necessárias à elaboração de uma vacina e a Spacehab acredita que a Estação Espacial Internacional constitui um ambiente único para efectuar este tipo de testes.

Em 2005, o Congresso americano aprovou que uma parte da Estação Espacial Internacional fosse transformada em laboratório nacional.

As infecções causadas por salmonelas, que se manifestam por diarreias e febres, tratam-se frequentemente em alguns dias mas podem ser perigosas para crianças e idosos.