Portugal é o país da Comunidade Ibero-Americana que investe maior percentagem do PIB em Ciência e Tecnologia, tendo melhores indicadores nesta área do que os estados-membros da América Latina e estando ao nível da Espanha, em termos gerais.

A despesa total nacional em Investigação e Desenvolvimento era de 1,21 por cento do PIB em 2007, ano em que a de Espanha era de 1,27 por cento. Mas em 2008 Portugal passou para 1,51%, a alguma distância dos restantes países da Comunidade Ibero-Americana, escreve a Lusa.

Já em despesa por investigador, em 2007, a Espanha foi o país que mais investiu (58,2 milhares de euros), seguida do Brasil (48,7), Portugal (34,3) e Argentina (14,9), sendo que o vizinho ibérico estava também à frente no número de investigadores por população activa (9,35 por mil habitantes), tendo Portugal 9,16, Argentina 3,68 e Brasil 2,02, de acordo com dados do RICYT (Rede de Indicadores de Ciência e Tecnologia Ibero-americana e Inter-americana).

Brasil, Argentina, Chile e México são os países da América Latina com melhores indicadores de desenvolvimento científico, embora Portugal esteja mais desenvolvido a esse nível do que todos estes estados.