A FIGURA: Pizzi

Mais uma vez, absolutamente decisivo. Em noite decisiva para o Benfica, o médio surgiu em campo com a braçadeira e o espírito de capitão e foi um dos grandes responsáveis pela vitória das águias. Na primeira parte até nem esteve muito em jogo, mas na segunda esteve nos dois lances de golo. Primeiro assistiu Cervi e depois marcou ele, de penálti, o 2-0.

O MOMENTO: Azmoun com um calcanhar daqueles (80m)

O Benfica estava em vantagem por 2-0 e por cima no jogo, mas o Zenit mostrara mais do que uma vez que podia marcar em qualquer altura. O próprio Azmoun tinha desperdiçado aquela que foi a melhor oportunidade do Zenit, dois minutos antes. E talvez o desnorte ajude a justificar aquele autogolo, de calcanhar, após canto de Grimaldo. Foi a tranquilidade que faltava à águia.

OUTROS DESTAQUES

Cervi

O extremo argentino assinou a melhor exibição da época. Na primeira parte, foi mais o Cervi aguerrido, mais preocupado em fechar o corredor esquerdo, mas na segunda surgiu com outra cara. Logo aos dois minutos do segundo tempo, apareceu a encostar para o 1-0, servido por Pizzi. Mas Cervi foi mais do que apenas o golo. Voltou a estar perto de marcar aos 65m, mas viu Osório cortar em cima da linha e nunca virou a cara a qualquer duelo, por maior que fosse o adversário. Saiu ovacionado, coma Luz a reconhecer que Cervi está em Franco crescimento.

Gabriel

Num jogo que se previa de paciência, as mudanças de flanco que a qualidade de passe longo do médio brasileiro permitiu à equipa foram decisivas para encontrar espaços na defesa do Zenit. Com o decorrer do tempo foi perdendo eficácia no passe e a equipa ressentiu-se disso. Tem muito mérito na jogada que deu vantagem ao Benfica, ao desequilibrar por fora.

Tomás Tavares

Exibição personalizada do jovem lateral encarnado. Sem se atemorizar nem pela responsabilidade da partida, nem pelo tamanho dos adversários, sobretudo Dzyuba, que tentou explorar a juventude do camisola 84 várias vezes. E ainda surgiu várias vezes a apoiar o ataque.

Dzyuba

Um perigo constante. O gigante russo fez um grande jogo na Luz, perdendo muito poucos duelos e a obrigar a defesa do Benfica a estar sempre alerta. É muito difícil de parar e foi o melhor do Zenit nesta visita a Lisboa.

Osório

O central venezuelano emprestado pelo FC Porto ao Zenit teve um regresso amargo a Portugal. Vê a sua equipa eliminada da Europa, mas ainda impediu um golo cantado de Cervi, com um excelente corte em cima da linha.

Adérito Esteves / Estádio da Luz, em Lisboa